Escritas do fundo do mar

26
Mai 08

O home é um fenómeno

Reconheça-se sem nenhum aviltar que de encanecido o homem não padece. Não sou admirador confesso, mas reconheço de todo o mérito, que a melodia fica no ouvido e o trautear constante, irrita de viciante.

Sentava eu, o resto do meu Domingo no zapping pré-depressão da semana que avultava, quando deparo num programa sem história de um Herman louro e 200 Kg a mais, mas que acaba epicamente com este fenómeno da música portuguesa. Ele que me ambígua do pensamento o balanço entre foleiro, humor, piroso e estilo curioso, merece de muitos a romaria, como no Cidmania e deixa-me sem guarda. Hoje quando acordei ainda tinha na cabeça esta pérola do nacional cançonetismo…





Não é apócrifo, nem efabulador, mas é da sua arte um senhor, que arrasta multidões e gerações e que faz cantar o mais céptico dos ouvintes. Das favas ao chouriço, ele é macacos e bananas, amor, neve e tudo mais, acho que até usa cabanas!

Aqui fica o meu reconhecimento que José Cid é um fenómeno nacional!


P.S. - Do Mestre nem me atrevo a falar, mas que dizer daquele coro de 5 mamarrachos que o acompanham?!


Bilhetado por Brunorix às 11:23


Sabores

De artes de chupar bem tente
Aquele que de trincar não têm
O petiscar de um sabor bem quente
Que do Verão dá calor na gente
E que do pudor não se contêm

Lambem-se dedos e o que mais vier
Que de erótico se faz o sabor
Dispensa-se garfo, faca e colher
Trincam-se pãezinhos de prazer
Trocam-se olhares com amor

Esplanada, balcão ou varanda
É preciso é cerveja e sol
Sempre a chupar na casca que anda
Trincar de vontade o que lá dentro anda
E viva o belo do caracol!






Sal a mais

A inveja como um dos pecados capitais no cristianismo, serve não só como palavra última de Os Lusíadas, como castiga os parvos como eu que não aguentam a beleza conjugal de índole capilar e saem de casa na senda de a alcançar também.


...............(A inveja, conforme Sebastián de Covarrubias, gravura século XVI)......

Decidido então a mudar visual, entro na peloqueria do bairro afoito de uma decisão radical. Queria assim e assado, com toques de frito e cozido, acha que consegue? Claro que sim ! Já fiz muitas vezes, agora usa-se muito! Então, vamos a isto!

… Pois… se calhar… é melhor não tirar muito porque isto é como o sal: a mais já não se tira! Mais vale ir cortando… sim mais um toquezinho para acertar… pois é, nasce torto… não se esqueça do sal… tem vícios… pois é… com cuidado… era mais assim, tá a ver?… cuidado… pois… mas só mais um toquezinho, sim?...hum… bem…

- Ai está! Que tal? Gosta?

- Tá salgadíssimo!!!




Bilhetado por Brunorix às 11:06

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
16

19
22
24

25


Bilhete Radiofónico

 

BILHETE`S DIVER
EMÍLIO DO BILHETE
bilhetedeida@gmail.com
BLIHETES PUBLICADOS

 

 

 

Encontrar Bilhetes