Escritas do fundo do mar

09
Mar 10

Caros visitantes, leitores, seguidores, admiradores (ou não), bloguistas, amigos e familiares: ao quingentésimo post o Bilhete de Ida vem de armas, bagagens e outras postagens para esta casa. A vida está boa é para mudanças e todas as lufadas de ar são frescas.

 

A grande alegria que nos invade pela meta alcançada vai ser coroada com um ambiente novo e uma morada diferente. A partir de agora encontramo-nos aqui. Apareçam!

  

 

Bilhetado por Brunorix às 17:40

20
Jan 10
… grandes resignações! Não há nada a fazer e o anterior visual do Bilhete perdeu-se para todo o sempre. Por isso, bem vindos ao novo ambiente das viagens que continuarão a ser de ida, embora em papel diferente.


Bilhetado por Brunorix às 12:49

11
Jan 10

Hoje é um dia muito especial por ser absolutamente igual aos outros todos. No entanto, do ponto de vista simbólico, a data assinala o completar do segundo ano de existência. É comum aceitarmos o espaço temporal referente a um ano como uma referência da longevidade em causa. É por isso, que o Bilhete de Ida atinge hoje uma dessas marcas de longevidade: o segundo ano completo de ebulição (e bulição – porque isto do vício ainda dá trabalho).



É engraçado constatar que uma brincadeira em formato de experiência virtual se tornou num elemento presente no dia-a-dia do pensamento. Muitas das linhas directivas do meu estar foram redesenhadas desde que o blogue nasceu. A escrita foi uma descoberta e tornou-se presença constante e fundamental na respiração da vida.

Em jeito de celebração resumida, deixo os números da viagem que este Bilhete de Ida já alcançou, com destaque para algumas estações e apeadeiros: 479 posts, 17187 visitas, 1 programa de rádio, 1 Clube de Leitura, 2 cursos e meios de Escrita Criativa, 1 conto publicado num livro, 1 texto numa agenda e muitas horas de, com e para.

A todos os que de alguma forma contribuíram, influenciaram, apoiaram, acarinharam, criticaram (bem e mal) ou que só espreitaram, aqui fica o meu obrigado por tudo. E mais alguma coisa.

Cheers!


Bilhetado por Brunorix às 18:08

19
Jun 09

A minha editora pessoal, emite agora mesmo a sua quadricentésima publicação. A prateleira enche-se de orgulhos e olho para todas as lombadas com um carinho “pouco” modesto de autor. Não pela qualidade, mas pela dedicação e empenho. Estão aqui muitas horas de pensamento escrito e muitas partilhas. Algumas (poucas) maravilhas e outras tantas curiosidades. Pelo meio algumas verdades. Mais à ponta outros intentos. Alguns desalentos.



Dou dois passos atrás e contemplo o padrão formado por todas elas, como num quadro impressionista. Quer dizer, faz-me impressão. Não imprimo nada, mas publico de espanto o facto de uma experiência de escrita virtual se tornar numa realidade viciante. Já não imagino a minha realidade sem o Bilhete de Ida. Nasceu e veio para ficar. Pelo menos por aqui.

Com a revisão editorial desta publicação, surgem todos os pensamentos e os agradecimentos. Porque se o impulso surge de motivação pessoal e o concretizar segue as normas e as ideias do editor cá da casa, a verdade é que sem retorno não havia continuação. É por isso que a todos agradeço e com todos (continuo) a partilhar estas publicações em forma de Bilhete.


Bilhetado por Brunorix às 13:37

08
Fev 09
Terceira comemoração centesimal e a certeza de que este Bilhete veio para ficar. Já não me vejo sem ele e confirmo o exercício de aquecimento de uma aula de escrita criativa, em que se pedia em 30 segundos para justificar o porquê de escrever:

Escrevo, pelo fascínio de amontoar palavras de tijolo para construir edificios de leitura.

É essa construcção diária que me traz aqui todos os dias para colocar mais um tijolo. Agora que cheguei ao 300º andar ainda me surpreendo com a altura alcançada. Aqui em cima o ar já tem outro peso literário e por vezes é preciso respirar palavras e mais palavras para aguentar a pressão atmosférica da escrita.

Cada tijolo colocado, cada degrau subido, cada Bilhete emitido tiveram o condão de me fazer ler mais, de me ensinar a escrever, de me impulsionar na partilha de palavras e na descoberta de um mundo novo. Tenho vivido com livros, tenho rodeado os dias de acontecimentos literários, tenho respirado e absorvido influências escritas e trocas de leitura.




Sinto o vício das palavras a correr nas veias da escrita e espero chegar ao céu da criatividade, colocando cada vez mais e mais tijolos. O meu edifício de leitura irá continuar a emitir Bilhetes de Ida, assim me ajude a imaginação e a vontade.

Obrigado a todos os que foram subindo os degraus e que foram colocando massa crítica para segurar esta construção partilhada. É minha a vontade que a cria, é vossa a razão que a habita.
Bilhetado por Brunorix às 15:31

26
Jan 09
Passados os momentos passados, descansaram os neurónios da indignação, da dor e da partilha. A, B e C respectivamente. De regresso a lides de escrita, usam-se as bandarilhas do destino para alinhar faenas de esperança e apontam-se os próximos toureios ao futuro que vier.

Em tom de regresso, deixo um apanhado do que fui apanhando nestes dias…


O estranho caso de Benjamin Button

Qualquer cinéfilo amador (que ama) tem que ver este filme, porque tem que ver este filme. Não sei quantos Óscares vale, mas para mim valeu todos os minutos que durou. Fez-me rir, emocionou-me, alegrou-me, fez-me pensar… e isso, é o que eu mais quero dos filmes. O resto, deixo para os “especialistas”.






OBITUEMO-NOS #4

Os museus e a ciência devem-lhe toda uma fundação.


Fernando Bragança Gil
(1927-2009)

P.S. - Atrasado dois dias, mas com a mesma homenagem.



FRASEANDO #9

We’re meant to lose the people we love. How else would we know how important they are to us?


In
Benjamin Button


CLUBE DE LEITURA

Obrigado pelas sugestões, estão todas assentes, e até quinta-feira podem enviar mais. Nesse dia serão postas a votação. No entretanto, O Solista está em fase de comentário...



23
Jan 09
A redacção informa os seus estimados leitores, que os responsáveis pelas publicações diárias (neurónios A, B e C) se encontram temporariamente ensombrados pelo nojo das circunstâncias.

Uma pausa muito breve para recarregar as canetas da criatividade, seguida de um regresso ao normal universo da partilha escriativa.





Até lá, que tal aproveitar a pausa para sugerir uns livros para o Clube de Leitura?

Até já.

11
Jan 09
Somos seres contadores. Assim que nascemos começamos a contar. Contamos o tempo, contamos o dinheiro (uns contam mais que outros), contamos os sucessos e os insucessos, contamos os amores e os desamores, contamos os dias e as noites, contamos o estudo e os amigos, contamos as experiências e as histórias, contamos fotos e recordações, contamos trabalho e férias, contamos a saúde e a doença, contamos o que falta para, contamos o que já passou de, contamos saudade, contamos sentimento e contamos, sobretudo, aos outros sobre o que já contámos.

Eu hoje já contei 366 dias, 267 Posts, 318 comentários, 5045 visitas, 1 programa de rádio, 1 clube de leitura, 5 doenças (com a de hoje), 40 etiquetas, 1 curso e meio de Escrita Criativa, 302 imagens e 1 orgulho por isto tudo.

O que eu não consigo contar são as horas de prazer que aqui estão, as palavras todas que aqui deixei, os contactos todos que por aqui fiz, a satisfação imensa pela descoberta deste mundo e a grande realização de criação de um projecto de partilha controlada.

O Bilhete de Ida é uma realidade em crescimento e faz parte integrante do meu blog de vida. Faz hoje um ano que tudo começou e este atingir de proporções que eu nunca imaginei, deixa-me fascinado por ter descoberto o prazer na escrita e pela escrita. Não estão em causa padrões de qualidade, mas sim de satisfação e eu hoje conto-me satisfeito!



12
Dez 08
Ainda não tenho um ano de vida neste país e os fenómenos ainda me surpreendem. Sei que há Blogs, Bloguinhos, Blogões e Super-Mega-Ultra Blogs, mas mesmo assim não pensei que se pudessem influenciar tanto uns aos outros.

Tudo começou por uma oferta, que foi originalmente feita para utilização neste blog, mas que depois me pareceu engraçado partilhar com um blog, até mais próprio, daqueles Super-Mega-Ultra. Foi assim que o fenómeno, ilustrado pela imagem em baixo, aconteceu. Um linkzinho mágico, e num dia as visitas triplicam!




O Bilhete ia afundando de tanta visita, e ficou extasiado e vaidoso de tanto se mostrar. A euforia clicante vai passar nos próximos dias e a mediazinha modesta vai voltar ao dia-a-dia destas viagens. No entanto, foi uma experiência de troca muito estimulante. Obrigado Marujo!
Bilhetado por Brunorix às 11:56

25
Nov 08
Dois centos já sentam no assento do Bilhete! Foi de uma assentada e assinto que nem dei pela passagem. Assentei arraiais e criei um novo verbo no meu dia-a-dia: o Bilhetar! Bilheto para cima e para baixo, a torto e a direito, parvamente ou pior ainda, com imaginação ou talvez não, mas confesso que me sinto bilhetantemente bem nesta paragem.

Este vício de escrita compulsiva que me corre nas veias da criação, não me deixa afastar muito as emissões. Quando emiti o primeiro bilhete, pensei que seria apenas uma experiência nova que não teria muita continuação… afinal, criei um “monstro” que me come as bolachas da imaginação e me empurra nesta Ida todos os dias. Colo assim, na parede da criatividade o ducentésimo bilhete!




Aprendi escrita, aprofundei leitura, criei Clube e outras secções, deixei palavras aos milhões. Ouvi na rádio, li comentários, lancei poemas e outros abecedários. Contei visitas, dei música e sugestões, liguei para muitos e conheci ligações.

Por isto tudo, aos 200 ergo a minha caneta e bebo de um só trago as palavras que ela contém. O que for saindo sairá, assim me permita a vontade e a emissão imaginativa!



P.S. - Em jeito de comemoração, deixo uma prenda musical, roubada neste Project...


Bilhetado por Brunorix às 10:55

08
Nov 08
Este Sábado trouxe uma capa de mudança no visual aqui do Bilhete. É apenas para evitar os fortes ventos laterais e o frio de escrita que se avizinha, não vá a monotonia constipar-se. Foi só um liftingzinho de Inverno para manter a temperatura de ontem.
Bilhetado por Brunorix às 22:48

01
Ago 08

Não sei como, nem quando, nem sequer mesmo se consigo. Vou sentir falta e saudades da dose diária, mas este Bilhete de Férias que tirei para as próximas 3 semanas dá-me descanso por um lado e afastamento pelo outro. No entanto, vou tentar fazer umas passagens bilhetantes!

É preciso recarregar baterias para enfrentar um Setembro extremamente extremo! Necessito respirar outros ares e sentir outras paisagens. Por aqui os ambientes estão com o sufoco do peso e também precisam de férias. Até já ando a ver coisas!



Bilhetado por Brunorix às 15:44

04
Jul 08

100 Bilhetes, 100 viagens e outras tantas paragens. Comecei da piada a ideia e ganhei o vício da escrita diária. Fiz da imaginação criança e sorri das linhas confiança, porque a palavra sempre alcança.

Fui surpreendendo degraus de escada própria, num caminhar divertido e não esperado. Admirei muito os retornos e até ouvi, lido por alguém, na telefonia da globalização. Senti conforto na passada e descobri novas vontades. Fiz da escrita criativa, uma paixão ofertada no sentimento recebido e cumprido! Ainda por cima com continuação…

Descobri que a força do sonho, deve ser escrita para não esquecer o que de memória não se pode dizer. Eternizo conjugações de vontade, exclamações de dúvida, perguntas de certeza e imagens com certeza!

Assim se fizeram escritas de partilha nesta viagem de ida. Aqui está o Bilhete para sorrir e usar!


P.S. - Obrigado a todos por tudo, sobretudo pelo incentivo da descoberta!


15
Jun 08
E, afinal de contas, uma pessoa escreve para se divertir, para viver mais, para gostar de si mesma ou para que os outros gostem. *

Os afastamentos prolixos, motivados pelas férias, não permitiram a proximidade de um aparelho, com ou sem fio, que me permitisse a emissão de um Bilhete. Palpitei das veias a distância e mantive a muito custo, o pulsar fervoroso da vontade de escrita. Desperdicei muitas “inspirações” para emitir, mas guardei outras tantas que passo agora em bilhetes dados, à guisa de resumo temporal.

O Euro 2008 e a gasolina competem de mãos dadas na corpórea urde que nos faz correr ora para a bomba, ora para a televisão. Saltitamos emocionalmente de nenúfar em nenúfar, à velocidade de um golo de Ronaldo & os outros, enquanto somos carregados por trás - cartão vermelho directo! – pela Galp & as outras. Agora que até já somos campeões europeus, pelo menos da esperança, continuamos com Portugal cada vez mais no seu melhor!




Se da culpa se subentende responsabilidade, todos temos a cota parte da razão e dela mesma. No dia-a-dia do crescimento, sentimos a incompreensão da vontade e a dúvida da culpa. Mas afinal o que é isso da culpa?! Eu também não sei, na maioria dos casos, a não ser quando em determinadas situações “culpáveis” se consegue sem sombra de dúvida culpar o culpado. É que não é qualquer candidato a culpado que consegue tamanha estupidez! A não ser que o culpado seja eu…




P.S. - E Angola que fica tão longe...



* Arturo Pérez-Reverte, in O Clube Dumas


28
Mai 08
Aeroporto de Frankfurt, posto de internet em pé no meio do corredor, ver mail... näo dá! Entäo vamos ao vício! Cá estou... teclado confuso... ups!! Embarque...

Bilhetado por Brunorix às 11:29

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Bilhete Radiofónico

 

BILHETE`S DIVER
EMÍLIO DO BILHETE
bilhetedeida@gmail.com
BLIHETES PUBLICADOS

 

 

 

Encontrar Bilhetes