Escritas do fundo do mar

20
Mai 08


Não consigo perceber a cabeça das pessoas! Como é que se consegue infligir tamanhos actos sobre outro ser humano?! Não sou moralista, nem defensor de nada em especial, mas por mais que tente pensar numa justificação, não consigo. Que fenómeno de massas é este, que deve ter origem em histerias colectivas que funcionam quase como uma droga e leva a motins tão hediondos?!

Não serve para apelar a nada e também não contribui com alteração nenhuma, mas fica a reflexão sentida e difícil de ficar indiferente… que mundo é este?!






Faço do espanto o pensamento
E esgrimo na reflexão a partilha
Um mundo cercado como uma ilha
Não faz da morte em matilha
A tábua de nenhum salvamento

Espezinham do direito a vida
Para provar que a loucura assenta
No mal que a todos tenta
Na raiva que a alguns inventa
Na cegueira que querem seja lida

Triste sina dos que padecem
Nas mãos bárbaras da noção
Que a luta se faz sem razão
De matar sem deitar a mão
De lembrar o que alguns esquecem


Bilhetado por Brunorix às 12:05

Imagens chocantes de acontecimentos que nunca deviam existir a não ser numa tela de cinema de ficção. Excelente poema!
daplanicie a 20 de Maio de 2008 às 20:59

Parabéns pelo poema e pelo blogue. Sou estreante e, pelo que li, vou voltar mais vezes:)
iris_esfenoidal a 21 de Maio de 2008 às 17:46

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
16

19
22
24

25


Bilhete Radiofónico

 

BILHETE`S DIVER
EMÍLIO DO BILHETE
bilhetedeida@gmail.com
BLIHETES PUBLICADOS

 

 

 

Encontrar Bilhetes