Escritas do fundo do mar

29
Jun 10

Dona Joaquina, senhora de pose fina, levantou a pesada impaciência e fulminou o marido, já combalido, com o habitual olhar 2 cabides. O coitado do senhor Alfredo, habituado a viver no medo, levantou-se e aquiesceu a pouca sorte, trocando de mesa com o Aristides e parceira. Que bandalheira.

 

- Pares sobem, jogos descem…

 

Trocados os assentos quentinhos, ficam os que não podem e os que por direito não se mudam. Agitam-se jogadas mortas e espetam-se vazas tortas. Começa nova contagem e novo leilão. Dois sem trunfo, pois então, que isto de ter pontos é coisa para versados. Não se iludam e estamos conversados.

 

- Pares sobem, jogos descem…

 

Alfredo “Às de Trunfo”, melhor jogador lá da rua, dá de avanço em piropos o que lhe falta em jeiteira, enquanto a parceira amua. Mais uma voz de papo cheio que acaba num malvado carteio. Devias era estar deste lado que já não te armavas em engraçado. Jogou-se o que deu. Valeu? Sim… um cabide dobrado.

 

- Pares sobem, jogos descem…

 

Ouvem-se cadeiras e fumaças apressadas, que o Oliveira já está à espera. Mais a Vera. Com esses é só maçadas. Jogam transfer não sei para onde, nem sei para quê. Deixa lá, o homem é Conde, não se vê?! Mas podia jogar com alguma nobreza, sempre dava um tonzinho diferente à mesa.

 

- Pares sobem, jogos descem…

 

 

Laurentino e parceira olearam a placa a noite inteira. Antes da carta certa murmuravam lamúrias entre dentes, soltos mas reluzentes. Não há lugar para brincadeira! O jogo quer-se sério e vitorioso. Para falha, já basta o tropeção adulteroso. Jogas tu, trinco eu. Troca que não gosto de fazer de morta.

 

- Pares sobem, jogos descem…

 

Entre espadas e outras abanadas, Alcina era mais dada a copas, topas? Assuntos de coração que não se resolvem com paus, pelo menos maus. Para bater couro mais vale jogar ouro. Pelo sim pelo não, corta-se do morto e apura-se da mão… não vá dar para o torto e não haver solução.

 

- Pares sobem, jogos descem…

 

De porte autoritário e mandão, Manuel Juiz, o doutor, era dos árbitros um senhor. Ou talvez não. Mandava subir e descer, carregava em botões e dava cartas, fazia da pose o saber e iludia as disputas mais fartas. Mais dado às artes do xadrez, onde sentia ser o rei, de Bridge sabia as cores e do resto nem falarei.

 

- Pares sobem, jogos descem…

 

Campeonato de manha tamanha só podia ser num local. Depois do como é preciso o onde, e para isso não há igual. Sabemos onde se joga bem. É num clube onde ninguém se esconde: jogo eu, jogas tu e o Abel. Ainda joga a prima, a tia e a mãe e ainda há espaço para mais alguém. Senhoras e senhores, eis o CBL!

 

- Pares sobem, jogos descem…

Bilhetado por Brunorix às 17:29

09
Jun 10

Acordei morto. Não se percebia bem o motivo nem o porquê, se é que existem porquês para a morte, mas o fundamental é que eu estava morto. Olhei para mim de lado e achei que até estava com bom aspecto (se é que alguma vez tinha tido bom aspecto), não parecia nada estar morto. Talvez um bocadinho frio, só isso.

 

Ao meu lado, a olhar comigo, estava o meu irmão que parecia concordar que o meu bom aspecto (o tal possível) não se coadunava com a minha morte.

 

- Realmente não pareces mal. Sempre foste um bocado feioso, mas não pareces nada estar morto.

- Já viste?! E agora o que é que eu faço à minha vida? Isto não vinha nada a calhar e não me dava jeito nenhum morrer hoje. Até tenho uma apresentação lá na empresa…

- Pois… a essa já não deves ir, não.

- E agora?! Tens que me ajudar!

- Eu?! E o que é que eu sei sobre mortes?

- Sei lá! Mas és meu irmão e tens que me ajudar!

- Epá! Assim de repente…

 

A porta do quarto abriu-se e com a habitual pontaria entra o meu Pai que interrompe o nosso diálogo idiota e se junta à consternação geral.

 

- Olha, olha. Então tás morto? Queres lá ver isto?! Não tinhas uma apresentação hoje? Não comeces a fugir às responsabilidades, já sabes que…

- Eh lá! Calma… eu não fiz nada! Acordei assim, que queres que te diga?!

- Oh Pai tem lá calma. Então o rapaz acorda morto e ainda estás aí a atazanar?!

- Acorda morto, acorda morto! Aprontou alguma de certeza! Então não se vê tão bem que não tem ar de morto?! Vejam lá mas é se resolvem isso os dois que ainda por cima hoje os Avós vêm cá jantar e não quero que te vejam nesse estado! Ainda lhes dá alguma coisa!

 

Com tanta barulheira e a curiosidade do costume, a minha mãe apareceu também para se juntar à festa.

 

- Oh filho! Então vais-me morrer assim sem dar um beijinho à mãe?! Vá lá, toca mas é a levantar que isso é mas é preguiça! Até já te arranjei o pequeno-almoço: sopas de leite com pão, como tu gostas!

- Oh Mãe, por amor de Deus. Achas que eu tenho a culpa?! Já disse que acordei assim, o que é que eu posso fazer?

- Oh querido, não sei… reza um bocadinho pode ser que isso passe. Olha a tua tia uma vez também acordou assim e depois chamámos o Padre e ele rezou por ela.

- E resultou?!

- Não. Mas a tua Tia também não era muito boa, tadinha…

- Olha que grande ajuda! E se vocês em vez de estarem a dizer coisas parvas fizessem qualquer coisa para me ajudar?

 

Nisto desapareceram os três e eu acordei de vez. Estava vivo, quem diria, e com uma apresentação importante para fazer nesse dia!

 

Bilhetado por Brunorix às 20:03

01
Jun 10

Os ECSITES, as salsichas e as cervejas fazem da distancia a partilha possivel, sem acentos mas com assentos de qualidade, ou nao fosse esta a Alemanha da industria, especialmente aquí em Dortmund.

 

Na viagem surgiu a possibilidade de desviar um aviao com um sumo de laranja, mas como o levantar das 04h da manha ainda estava presente no espirito, decidimos deixar passar esta oportunidade. Tanto esforco a retirar todos os liquidos de mais de 100ml na controle do aeroporto para depois nos oferecerem 200ml a bordo e com um sorriso!

 

 

 

 

No aeroporto de Munique a preocupacao com a solidao era notoria. Para aqueles que viajam sem a cara metade aqui fica a solucao…

 

 

 

Ao jantar o mix de salsichas foi regado com uma dose normal de cervela, ou seja 0,5L em cada "canequinha", o que origina muitas deslocacoes ao wc para ir descarregando tanto liquido. Como temem que estas idas se tornem monotonas nao ha nada como uma distracaozinha.

 

 

Auf Wiedersehen, goodbye a todos os meus Cid`s.

 

 

 

P.s. - Por algum motivo idiota as fotos deitam-se! Deve ser do cansaco...

Bilhetado por Brunorix às 10:19
tags:

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
30


Bilhete Radiofónico

 

BILHETE`S DIVER
EMÍLIO DO BILHETE
bilhetedeida@gmail.com
BLIHETES PUBLICADOS

 

 

 

Encontrar Bilhetes